MENU

CASE: AGROSPE // Por: Felipe de Oliveira Ramos

A EMPRESA E SEUS DESAFIOS

A Agrospe (AGRO INDUSTRIAL SÃO PEDRO DE VACARIA) tem importante participação no mercado de maçãs, com altos requisitos de qualidade, além de adotar a filosofia de excelência operacional e melhoria contínua e  inovação para solução das dificuldades do setor. Durante a parceria firmada entre a Agrospe e a Avilla Consulting, foi realizado o mapeamento do processo no Packing House de beneficiamento da maçã) no qual foi identificada uma oportunidade de ganho financeiro pelo excesso de peso das caixas que eram embaladas, excedendo um limite considerado razoável. Por uma questão de garantia do produto, o peso esteve acima da quantidade vendida, porém em um nível elevado, uma quantidade excedida a mais que gerava prejuízo à empresa. Usando uma metodologia presente no Lean System, a equipe de consultoria da Avilla Consulting implementou os conceitos da padronização de processos e produtos, encontrando um valor ótimo que fosse suficiente para não onerar o processo, aumentando o custo do processo, e que não penalizasse aquele que é o foco principal de todo o trabalho: o cliente final.

CENÁRIO ENCONTRADO

O fator determinante para o ganho representativo foi devido ao controle de peso existente, cujo apenas era anotado em papel o peso bruto das caixas, com uma quantidade de amostras que não era confiável, não se sabia que as caixas tinham variação de tara entre fabricantes, lotes e modelos. Neste cenário, a configuração de pesos na máquina era praticamente fixa, não compensando as oscilações e tendendo ao peso máximo. Com o objetivo de aumentar a rentabilidade das caixas embaladas, foram definidos limites mínimo e máximo de peso. O controle de peso foi feito, usando ferramentas de CEP (Controle Estatístico de Processo) e padronização das rotinas de trabalho, em conjunto com o monitoramento do KPI (Indicador-chave de Performance) desenvolvido e implementado para a Agrospe durante o projeto. Com base na amostragem feita, verificamos qual era o peso líquido nas caixas antes e começamos a fazer o controle de peso diariamente, separando por faixas de horário. Esse controle foi feito de maneira que a monitora possa reconfigurar os pesos na máquina e estimar qual será o peso corrigido. As os tamanhos/calibre das frutas tendem a seguir uma curva gaussiana, onde o pico da curva varia entre os calibres e assim fazendo com que as caixas fiquem com o peso elevado em vários momentos, isto que a definição dos pesos por calibre era praticamente fixa.

 

AÇÕES E RESULTADOS

Tendo em vista o conhecimento do problema, foram criados e ensinados novos padrões de trabalho sobre a conferência de peso das caixas para os envolvidos, alteração dos limites de peso máximo e mínimo para as frutas de maneira dinâmica, com peso previsto de acordo com a alteração a ser feia nas faixas de peso. Isso faz com que, de maneira geral, sempre iremos distribuir os pesos unitários de maneira que mantenhamos o peso médio, apenas alterando a faixa de trabalho de cada calibre.

 

Com o trabalho em conjunto com a Avilla e Agrospe, foi obtida uma redução na ordem de 0,8% no excesso de peso das caixas embaladas, resultando em uma melhora operacional, um aumento na disponibilidade de matéria-prima e no faturamento geral pela entrega de um produto sem o peso excessivo.

Precisa de ajuda?